segunda-feira, dezembro 17, 2007

TÔ VIVA!!!



VIM AQUI, RAPIDINHO, NA CASA DE UMA AMIGA, SÓ PRA MANDAR UM ALÔ PROS

MEUS AMADOS E AVISAR QUE O FIDIRRAPARIGA DO MEU PC ME SACANEOU DE NOVO.

DESCOBRÍ QUE O DISGRAMADO NÃO TINHA SE RECUPERADO DO MAL SÚBITO QUE O

HAVIA ATACADO ANTES E AGORA ENCONTRA-SE NA UTI, NOS EXTERTORES DA

MORTE, ATÉ QUE APAREÇA UMA PLACA-MÃE SALVADORA QUE O RESSUSCITARÁ ...

OU NÃO.


PORTANTO, NÃO ESTOU AUSENTE POR LIVRE ARBÍTRIO, NÃO, OUVIRAM?

CONTINUO TRONCHA DE SAUDADE E ENVIO A VOCÊS O MEU CALOROSO ABRAÇO, ALÉM DE MIL BEIJINHOS DESEJOSOS DE QUE TENHAM, TODOS, UM INESQUECÍVEL NATAL!!!

quarta-feira, novembro 28, 2007



Começo este post pedindo desculpas a todos pela minha involuntária ausência prolongada. Aqui em casa, em vez das pessoas, quem viaja é o computador, que de tão doente teve que se internar por um longo tempo. Acho até que ele se fingiu paciente terminal pra forçar a sua internação antes que eu o mandasse pra casa vocês sabem de quem, já que a minha tolerância "zero" não mais me permitia suportar a sua jocosa impassividade diante das inúmeras frustradas tentativas de, na porrada, fazê-lo funcionar ... Acho até que cheguei a ouvir uns risinhos sarcásticos do disgramado ante os meus ataques de fúria ... Nóia, eu???
A saudade que sentí nesses dias foi compensada pelas visitas carinhosas e mimos recebidos, a saber: Esse trevinho da sorte com que abrí este texto, foi-me dado por Luci Lacey, do "Hippos". Comecei com ele pra afastar as energias negativas, porque da Luci só podem vir bons fluidos;
A Baby, do "Sabor de Amor", me citou na lista dos blogueiros que ela mais gosta. Ocorre que eu já tinha feito o mesmo com ela, anteriormente e isso só vem corroborar a grande amizade e o bem-querer recíproco que existe entre nós; Eu sou sua fã e ela sabe disso;
A Aninha Pontes, do "Meu jeito de ser", que é um doce de criatura, me presenteou com o meme da amizade e, como eu sei que o seu jeito de ser é a franqueza e a sinceridade, além de um imenso e bondoso coração, só posso me sentir regozijada com essa gratificante demonstração de afeto da sua parte;
Este selo foi-me presenteado pela Ane Brasil, da LSD GAZETA MUNDO CÃO. Quem nunca visitou o seu blog TEM que conhecê-lo, porque é um verdadeiro elixir contra o mau-humor. Essa menina tem uma veia humorística tão acentuada, que até quando escreve sobre algum tema sério mostra o seu talento pra fazer rir. Gosto muito de gente com alto astral e o dela é, pra mim, motivo de visita obrigatória ao seu espaço, assiduamente.
Agradeço a todas as queridíssimas pessoas aqui citadas, pelos mimos e aos demais (não menos queridos) que aqui estiveram durante a minha ausência.



terça-feira, novembro 06, 2007

ANA VIRGÍNIA, VOCÊ NÃO ESTÁ SÓ!




Quem vê estas fotos, retratando pessoas felizes, sorridentes e cheias de vida, observa uma mãe abraçada ao seu filho único, lindo, curtindo uma viagem cuidadosamente programada, na qual passariam momentos únicos, juntos, fora da rotina diária de trabalho, escola e afazeres domésticos impostos pelo dia-a-dia que a necessidade de sobrevivência impõe, não imagina a tragédia que se delineava, monstruosa e sorrateira, sobre essa bela família.




Muito já se disse sobre o caso. Alguns amigos, solidários à dor dos parentes, já postaram, com riqueza de detalhes, todos os passos que compõem o inacreditável mosaico dessa triste história, ainda inacabada e que, de antemão já se sabe, não terá um final feliz, porque deixa uma lacuna impossível de preencher: A perda de um filho!




Não quero me ater aos fatos, pois eles são dolorosos demais. Tanto, que podem até parecer inverossímeis demais, tamanho é o horror de que se permeiam. "Impossível acontecer tanta desgraça com uma só pessoa, a um só tempo", pensarão alguns, mas, pra quem ainda não os conhece, é só acessar o site criado pela família: http://www.anavirginiasardinha.com.br/ e constatará que não são produtos da imaginação de um mestre do terror. São reais!!!




Não consigo tirar os olhos dessas fotos sem parar de pensar: Por que não podemos voltar no tempo? Como eu gostaria de ter um controle remoto que fizesse voltar o relógio para o momento dessas poses e, assim, poder dar outro curso aos acontecimentos que as sucederam! Daí, a realidade bate, inexorável e me ponho a minimizar o alcance dos meus sonhos, restritos, agora, ao desejo de que essa desditosa mãe consiga, ao menos, resgatar o direito de ser julgada antes de ser condenada, depois de sofrer a maior de todas as penas: Ver morrer em seus braços o seu único e amado filho!




Unamo-nos nessa luta, que não é só da família Sardinha, mas de todos os seres humanos e, particularmente, de todos os brasileiros, pois uma compatriota nossa está vivendo um drama sem precedentes em Portugal, nossa "pátria-mãe", sem contar com o apoio mais que necessário das autoridades brasileiras para trazê-la de volta ao seu país. Sabemos bem que nem em nosso próprio território nos é dada a cidadania a que fazemos jus como contribuintes do erário público, de administração historicamente perversa com aqueles que mais lhe são, mesmo que obrigatoriamente, dadivosos, mas não podemos permitir que o desrespeito com o qual somos tratados aqui extrapolem fronteiras e se vulgarize internacionalmente. Exijamos dessas autoridades que tomem uma posição em defesa de ANA VIRGÍNIA, ou assumam publicamente o seu descaso para com os destinos dos que vivem sob a sua tutela e tirem a máscara de uma vez por todas!


HAVERÁ UM DIA EM QUE O BRASIL AMARÁ OS SEUS FILHOS TANTO QUANTO É POR ELES AMADO!!!






Esta postagem, mesmo atemporal, faz parte da Blogagem Coletiva em favor de ANA VIRGÍNIA DE MORAES SARDINHA, proposta por:


Luci Lacey - Hippos - http://hippopotamo.blogspot.com/
Luz de Luma - http://luzdeluma.blogspot.com/
Ronald - http://blogdoronald.blogspot.com/



Quem ainda não o fez, por favor, assine a petição:

http://www.petitiononline.com/sardinha/petition.html



Peço desculpas pelo atraso em publicá-la. Problemas tecnológicos alheios à minha vontade me impediram de fãzê-lo em tempo hábil, mas considero que nunca é tarde pra se pedir justiça.

quinta-feira, novembro 01, 2007

PELA PAZ MUNDIAL


BLOGAGEM COLETIVA PELA PAZ NO MUNDO






Marco presença na Blogagem Coletiva "Pela Paz na Terra", contribuindo, pretensiosamente, com um cordel da minha autoria, de antemão pedindo licença aos cordelistas do Brasil pela minha ousadia, mas esperando ter, desta forma, colaborado com mais essa grande iniciativa do Lino Resende em prol de uma nobre causa.





CORDEL PELA PAZ UNIVERSAL




Pediram-me para falar
Sobre a Paz mundial
Que em primeiro de janeiro
Tem seu Dia Universal
Mas nosso mundo blogueiro
Como sempre, é pioneiro
Nas causas de verdadeiro
Interesse social



Nasceu de Lino Resende
Esta idéia solidária
Um blogueiro antenado
Com a causa humanitária
Que, vez por outra, convoca,
Por livre iniciativa,
Uma "Blogagem Coletiva"
De força extraordinária.


Mas como falar de paz
Num mundo assim, tão cruel
Em que até Papai Noel
Deixou de ser "bom velhinho"
Pra crianças sem carinho
Que vivem rotas, sem rumo
E hoje é produto de consumo
Do empresário mesquinho?


Como vou falar de paz
Se aqui mesmo, bem pertinho,
Observo o meu vizinho
Trancado a sete chaves
Cerca elétrica, aldravas, chaves
Em prisão particular
Enquanto os marginais
Vivem livres, a espreitar?


Crianças abandonadas,
Idosos desrespeitados
Homens, mulheres, tomados
De pavor e desencanto
Só se valendo do pranto
Pra chorar as sinas suas
É o triste quadro das ruas
Do mundo, em todo recanto.


Já vimos de tudo um pouco
Neste mundo de meu Deus:
Um verme, frustrado e louco
Matar milhões de judeus;
Um maníaco genocida
Mentir só pra dar guarida
Aos seus planos de ataque
A países como o Iraque
Dizimando os filhos seus!



Na África, a fome, a miséria,
O ódio no Oriente Médio
Cuba fugindo ao assédio
Da cobiça americana
E os povos que não têm grana
Se vendendo a qualquer preço
Marcam do fim o começo
Que de toda a Terra emana.


E como se não bastasse
Todo esse grande problema
Inda temos o dilema
Da biodiversidade
Pois o homem, por maldade,
Destrói florestas e rios
Como a lançar desafios
A Deus e à Sua piedade.


O ódio, a destruição,
A luta pelo poder
É só o que a gente vê
Acontecer mundo afora
Mas já tá mais que na hora
De tudo isso acabar
Pra que a Paz possa reinar
Alhures, aqui e agora!




Vamos todos dar as mãos
Pela paz e pela vida
E travar luta renhida
Sómente armada de amor
Vamos plantar uma flor
E abrir nossos corações
Pra que as novas gerações
Possam viver o esplendor


Mostremos às nossas crianças
Que não somos vagabundos
E que os nossos laços profundos
Não se desfazem jamais
Pra que elas, nos seus pais,
Tenham fé e esperança
Firmemos uma aliança
Pela Vida! Pela Paz!!!





Passei um tempão pesquisando a literatura de cordel à cata de um poema que falasse sobre a paz, mas só encontrei alguns que apenas abordavam esse tema de forma específica, como o terrorismo, o conflito religioso, etc... Daí nasceu a idéia de fazer um da minha própria autoria. Por que não? Pela Paz vale tudo!!!

terça-feira, outubro 30, 2007

BLOGAGEM COLETIVA II


Nova blogagem coletiva, desta feita em favor de ANA VIRGÍNIA

Abaixo, o apelo da Luci Lacey:

"Nos momentos mais dificeis, a solidariedade humana faz a diferenca.
A situação de Ana Virginia, presa em Portugal de forma injusta, nos leva à questão dos direitos humanos que, neste caso, tem seu texto rasgado cruelmente por aquele pais lusitano.
Assim sendo, convidamos todos os amigos blogueiros para que, no próximo dia 05 de novembro, façamos uma blogagem coletiva no sentido de cobrar um esclarecimento rápido ao caso, que a Ana pare de sofrer e volte ao convivio de seus familiares.
Confirme sua participação em um dos 3 blogs e pegue o selinho da blogagem.



Blog do Ronald - http://blogdoronald.blogspot.com
Hippos - http://hippopotamo.blogspot.com
Luz de Luma - http://luzdeluma.blogspot.com/


Conheçam a história de dor de Ana virginia visitanto seu site.

http://www.anavirginiasardinha.com.br e assinando a Peticao.Colaborem com uma causa mais do que justa, trazendo para a mesma o maior numero de amigos possíveis; a justica agradece.
Obrigada a todos"

Eu vou participar. E você?

BLOGAGEM COLETIVA I



O Lino Resende está promovendo uma blogagem coletiva sob o tema "Paz no Mundo", a ser veiculada no próximo dia 01 de novembro. Abaixo, transcrevo o texto que ele publicou, convocando adeptos:


"Se você está disposto a participar, ótimo. Mas pode fazer mais um pouco e divulgar a blogagem no seu blog. Se fizer isso, vai dar maior abrangência ao assunto, trazendo mais pessoas para falar nele. Neste caso, é só pegar um dos selos e colocar no seu blog. E se programar para no dia 01 falar sobre a paz mundial e como gostaria de ver o mundo.


Se você não conseguir copiar o selo, pode usar o endereço deles, fazendo um link. Os endereços são: selo 1, selo 2 e selo 3. Basta clicar com o botão direito do mouse, selecionar propriedades e copiar o endereço. Simples, assim.
Você pode - e deve - confirmar sua participação. E neste caso, basta deixar um comentário informando que está na blogagem. É importante fazer isso para que, no dia 01 de novembro, todos os participantes possam ser relacionados.
E então, vamos nos juntar? Conto com todos nessa nova empreitada para chamar a atenção para algo que necessitamos, e muito, que é paz no mundo".


Juntem-se a nós! Vamos fazer uma grande corrente na promoção da conscientização dessa necessidade premente no nosso mundo atual.




sexta-feira, outubro 26, 2007

O GALÃ DE SUBÚRBIO

Nos primórdios da minha vida de bancária fui escalada pra trabalhar no pagamento do PIS, uma espécie de "prova de fogo" a que eram submetidos os novatos. Era um verdadeiro teste de resistência, pois além das multidões de trabalhadores que tínhamos de atender, em geral o banco alugava galpões enormes e desconfortáveis, onde eram improvisados os balcões de atendimento. Filas quilométricas, uma verdadeira legião de estudantes universitários contratados para dar reforço, mais um monte de funcionários estabanados, indo e vindo, resultavam em imensos salões empoeirados e, via de regra, sem ventilação adequada, num calor infernal ... Enfim, a gente trabalhava feito um bando de condenados.
Ah! mas a gente se divertia pra caramba! Éramos todos muito jovens e cheios de garra, não faltava camaradagem, bom humor e muita alegria. Qualquer coisa era motivo pra boas gargalhadas. O público ao qual atendíamos era muito diversificado, compreendendo desde trabalhadores rurais (que chegavam apinhados em caminhões, trazidos durante a madrugada, pela usina-empregadora) até advogados espertos, representando seus clientes (estes sempre reivindicando privilégios nada cabíveis, pra "furar" as filas).

No verão em que se deu o "causo" em pauta, o prédio alugado para essa finalidade ficava de frente pro sol, que castigava, inclemente, invadindo o recinto e provocando uma claridade incômoda aos nossos olhos. Nesse dia eu havia esquecido os meus óculos de sol e estava me sentindo muito desconfortável em trabalhar exposta àquela luz intensa. De tanto reclamar, o meu chefe me ofereceu uns óculos que haviam sido deixados por alguém, na sua mesa e eu, aliviada, aceitei a oferta, pois não estava conseguindo trabalhar direito com todo aquele solzão no meu rosto. Os tais óculos me serviram bem, apesar de exibir uma bandeirosa borboleta encrustada de pedrinhas no canto do olho direito, que me fez concluir ser a sua dona uma tremenda "perua". Mas, como diz o ditado, "Cavalo dado não se olham os dentes" e, dada a absoluta falta de opção, no momento, pus a peça na cara e continuei o meu serviço, sem tempo, sequer, de levantar o rosto pra não ver o tamanho da fila que, àquela altura, dobrava o quarteirão ...

Estou eu bem absorta na identificação dos participantes quando um colega me sussurra aos ouvidos: "Acho que tu acabas de "ganhar" alguém da fila". Curiosa e faceira, procurei ver de quem se tratava. Não foi difícil localizar o meu admirador! O sujeito fazia tanto salamaleque pro meu lado, me apontando pros parceiros, piscando olho e fazendo poses insinuantes, que logo percebí quem era o tal. A sua descrição é a seguinte:

Um cara de uns vinte e cinco anos, magro, alto, vestindo calça e jaqueta jeans, com um bigodinho a la cafageste, costeletas proeminentes, óculos escuros (que ele fazia questão de manter na ponta do nariz, pra me ver melhor) - O próprio galã de subúrbio! - e um detalhe que matou todas as esperanças porventura existentes de que eu viesse a lhe ser receptiva: Lindos dentes ... Todos dois! Como se não bastasse a boca vampiresca, ainda exibia garbosamente um chapeuzinho de jeans com o dístico: "QUILUXO", bordado em letras garrafais!!!

Pronto! Foi o que bastou pra me deixar com frouxos de riso e me desconcentrar completamente do que estava fazendo porque, a essa altura, todo mundo já tirava sarro de mim (inclusive eu) e as piadinhas mordazes não davam trégua. Mas o que provocou a minha retirada do ambiente, por absoluta incapacidade de conter o riso e, assim, preservar a postura profissional até então, mesmo precariamente, mantida, foi a sutileza da sua "cantada", ao se aproximar de mim, quando chegou a sua vez de ser atendido:
Ele cutucou o seu parceiro, escorou o cotovelo no balcão e me disse, baixinho:
EU HOJE VOU JOGAR BRABULETA!

segunda-feira, outubro 22, 2007

PREITO DE GRATIDÃO E OUTROS







Tenho sido tão paparicada pelos meus amigos blogueiros, que resolví postar estas flores em gratidão pelo seu carinho e generosidade. Agora foi o Chawca, do Meu ouvido não é penico que me agraciou com este Prêmio Blog Solidário. Fico muito feliz ao ser homenageada por gente desse naipe, donos de blogues da mais alta qualidade, pois sei que aqui de enxerida, já que não domino todos os recursos infinitos com os quais lidar para chegar ao seu patamar. Portanto, Chawca, querido, receba estas flores como um gesto de gratidão, dispostas assim, lindamente, pra você e desculpe-me pela demora em postar os meus agradecimentos.



DE SACO CHEIO!


Eu ando sem muito saco pra postar, pois, além da absoluta falta de inspiração que tem me atacado ultimamente, como todos vocês já sabem o meu PC é temperamental e só trabalha quando quer; se me conhecesse bem, jamais se arriscaria a ignorar o risco que corre, pois eu também não sou um primor de serenidade e tenho tido ímpetos de jogá-lo contra a parede, tragédia essa que ainda não ocorreu porque eu sou "pavio curto" mas não sou burra. Já que não estou, no momento, em condições propícias para substituí-lo, vou considerando a velha máxima de que "ruim com ele, pior sem ele"... Mas ele que me aguarde!



ESCOLHIDO O SAMBA DA ESTAÇÃO PRIMEIRA DE MANGUEIRA


Na semana passada foi escolhido o samba com o qual a Mangueira homenageará o Recife, que tem como tema os 100 anos do frevo. Ainda não ouví a música, mas fiquei um tanto quanto decepcionada com a letra, pois o tema comportaria citações imprescindíveis, como: Capiba, Felinto, Pedro Salgado, os irmãos Moraes, Guilherme Fenelon, Nelson Ferreira e tantos outros imortais compositores, músicos, maestros e o mais genuíno intérprete de suas canções, Claudionor Germano, ainda hoje fazendo o povo ferver nas ruas de todas as cidades de Pernambuco durante o tríduo momesco. Sequer foi citado o frevo que é o hino do carnaval pernambucano, Vassourinhas, executado em todos os salões de bailes carnavalescos do país, ainda que apenas os seus primeiros acordes. Não sei quem foram os julgadores mas, considerando a pobreza da letra vencedora, me parece que eles não devem ter tido muitas opções, não!

Resta-me louvar o título, que cita dois frevos de pura efervescência: "De perder o sapato"e "Recife mandou me chamar" e torcer para que a minha Mangueira querida abiscoite o primeiro lugar.

Transcrevo abaixo a letra do dito cujo, pra que vocês mesmos tirem as suas conclusões e avaliem a minha crítica.



100 ANOS DO FREVO, É DE PERDER O SAPATO. RECIFE MANDOU ME CHAMAR...(Lequinho, Jr Fionda, Francisco do Pagode, Silvão e Aníbal)


Mandou me chamar, eu vou

Pra Recife festejar

Alegria no olhar , eu vejo

É frevo, é frevo, é frevo

Ao som de clarins

Descendo a ladeira

Sou Mangueira

Tem frevo no samba,

Deu nó na madeira

Orgulho da cultura brasileira

A majestade é o povo,

Sem o povo história não há

Estende o brasão, reflete o leão,

Símbolo de garra e união

Capoeira invade os salões

Mascarados, despertam Dragões

E pelas ruas, vem Zé Pereira,

Arrastando a multidão

Nascia o frevo contagiando toda a massa

E até hoje tem colombina e seus amores

Passo no rancho das flores

O profano é sagrado no maracatu

Nos cem anos de história, desperto a alvorada

Brincando no Galo da Madrugada

Invade a cabeça, o corpo, embala os pés

Delírio da massa, um fervo!

É a Mangueira no passo do frevo

Voltei de sombrinha na mão

Sonhando em gritar é campeão


terça-feira, outubro 16, 2007

MAIS UM! MAIS UM! MAIS UM!!!




o Adão Flehr, do blog Prosa Eletrônica, "um caleidoscópio de prosas retas e poesias tortas", como se auto-denomina, é um carioca sangue-bom que acaba de me conceder este selo de "Blog que vale a pena conferir". Quem conhece o espaço dele sabe que se trata de uma pessoa com sensibilidade de poeta, que o é (e dos bons), pés no chão e cabeça na imensidão, como diria o imortal Chico Science. Portanto, só me resta exultar com mais esta prenda que representa muito pra mim porque traduz o bem-querer que semeei aqui neste universo e, o que é melhor, agregando em meu entorno pessoas do naipe do Adão. Valeu, amigo! Só peço sua compreensão pra me permitir não repassar o selo, pelos motivos que já expus no comentário que fiz no seu último post (que está simplesmente di-vi-no, diga-se de passagem).





CHUCK REALIZA SONHO DE MUITOS BRASILEIROS



Chuck é o nome do meu poodle, adorável espécime da raça canina por quem me apaixonei perdidamente, à primeira vista, desde que aqui chegou, há três anos, trazido pelo meu filho, num esforço pra me tirar de uma "fossa" lacrimosa em que me encontrava, então, pela perda repentina de um outro cãozinho que eu tinha e que foi morto por atropelamento - o Zulu.



Sempre fui veementemente contra a idéia de criar qualquer animal doméstico, exatamente por saber do sofrimento que causa a perda deles, quando se vão. Lembro bem do quanto chorei pela morte de um gatinho que eu tive, quando menina, o que fez minha mãe proibir definitivamente qualquer tentativa nossa de trazer animaizinhos pra dentro de casa. Assim fiz eu, ao me tornar mãe.



Meu filho, no entanto, sempre me cobrou a presença de um cachorro e foi uma luta sem fim atravessar a sua infância resistindo às suas súplicas neste sentido. Mas o sujeito é persistente e, depois de adulto, acabou por trazer Zulu pra cá sob o argumento de que "as pessoas que têm animais de estimação se tornam mais calmas, mais afetivas", etc...

A contragosto, acabei por aceitar o cãozinho que, aos poucos, foi me "ganhando", até a total capitulação ante a sua mansidão, fidelidade e amizade a toda prova, qualidades proverbiais porém absolutamente incontestáveis nos animais dessa espécie.



Com a sua partida dolorosa e prematura, como já falei, chegou Chuck, "talqualmente" afetivo e agora onipresente em minha vida. Só que o coitadinho vive numa "secura" de dar dó: Não arranja uma namorada faz tempo (vai ver, a convivência comigo acabou refletindo no bichinho ... rsrsrsrsrsrs); Por mais que eu me esforce em oferecê-lo às amigas que possuem cadelas, ele não dá sorte. Até já levei sua foto pra um pet-shop que publica fotos de solteiros numa espécie de "classificados" caninos mas, mesmo assim, tem sido uma dificuldade tremenda conseguir-lhe uma "visita íntima". Nos seus três anos de existência, o pobrezinho só cruzou duas vezes!



Pois bem. De tanto eu falar sobre isso, alguém me aconselhou a comprar uma almofada pra lhe servir de namorada, mas o bicho vai com tanta sede ao pote, que já estraçalhou uma meia-dúzia delas e então eu desistí da idéia. Daí, a minha secretária, numa atitude de total solidariedade para com o seu padecer, pegou os restos mortais delas e "fabricou" uma outra, artesanalmente. Só que, como todas as capas ficaram inaproveitáveis, ela envolveu os enchimentos numa velha camiseta que encontrou ... Era uma camiseta da primeira campanha eleitoral do LULA!



Ontem, passeando com Chuck pela vizinhança, encontrei com uma cadelinha que estava no cio mas, pra variar, a dona dela não queria que ela cruzasse. Isso acirrou o tesão do meu cachorrinho e aí, quando chegou em casa, ele agarrou-se, com todo gás, com o arremedo de "boneca inflável" que Vilma lhe tinha feito e mandou ver! Foi aí que, mesmo simbolicamente, fez o que tantos brasileiros gostariam de fazer:

CHUCK FUDEU LULA!!!


APROVEITANDO O CLIMA
Pra aproveitar o clima, vai aqui a última piada que ouví e que achei hilária:

BOAS MANEIRAS
Na sala de aula a professora dava lições de boas maneiras, quando perguntou a três garotos :
- Vamos supor que vocês estão num restaurante fino, acompanhados de uma dama de fino trato e, de repente, sintam necessidade de ir ao banheiro. O que você diria pra ela, Joãozinho?
- Dá licença,que eu vou mijar - falou o primeiro.
- Isso não se fala pra ninguém, muito menos pra uma pessoa requintada! - Admoestou a professora- E você, Pedrinho, como faria?
- Eu diria: "A senhorita me dá licença? Preciso ir à casa de banhos.
- Não, não! Por favor, não se deve, à mesa, sequer mencionar o banheiro! - Falou a professora, já impaciente - E você, Juquinha, vejamos o que faria!
- Eu diria: " Senhorita, por favor, me dê licença, pois preciso me ausentar alguns minutos para apertar a mão de um grande amigo meu, que pretendo lhe apresentar logo após terminarmos o nosso romântico jantar".


quarta-feira, outubro 10, 2007

PETIÇÃO EM PROL DE ANA VIRGÍNIA - TANTAS PALAVRAS





Volto a falar sobre o assunto ANA VIRGÍNIA como uma forma de arregimentar ainda mais adeptos à sua causa. Agora temos um instrumento mais contundente pra pressionar as autoridades competentes, que é a petição elaborada pela irmã dela, a ANA ROSA. Trata-se de um abaixo-assinado dirigido ao Presidente da República e ao Ministro da Justiça brasileiros e eu confio que todos os meus amigos, assíduos ou esporádicos, hão de nos ajudar a conseguir o máximo de assinaturas possível. É fácil, rápido, prático e livre de ônus, exceto a boa-vontade e o teor de sentimentos humanitários que cada um tem em si. É só acessar o site http://www.petitiononline.com/sardinha/ e deixar lá a sua assinatura. A recompensa será a sensação de dever cumprido perante alguém que necessita urgente e prementemente de sua ajuda, além da satisfação de estar participando de uma nobre causa.


TANTAS PALAVRAS

Tô em falta com a minha contista favorita, a Lili, do Quase Histórias de Amor. Ela me convidou pra uma brincadeira que eu até já conhecia (só não lembro se o nº da página era o mesmo, à época) e da qual também participei, quando fui convocada. Consiste em abrir um livro qualquer, procurar a página 161 dele e transcrever a quinta frase ali encontrada.


Escolhí o livro "CHICO BUARQUE - TANTAS PALAVRAS", uma reportagem autobiográfica desse ícone da literatura brasileira e compositor ímpar, meu ídolo absoluto e inquestionável, da autoria de Humberto Werneck e que ganhei de presente do meu filho muito amado no meu último aniversário. O livro contém, também, todas as letras de suas músicas maravilhosas e na página 161 está publicada a de "RODA VIVA", composta em 1967, a qual dispensa comentários elogiosos pra evitar obsoletas redundâncias, já que tudo o que se disser de bom sobre a sua obra é pura repetição de palavras.

"A gente quer ter voz ativa

No nosso destino mandar

Mas eis que chega a Roda Viva

E carrega o destino pra lá" ...

Quem quiser entrar na roda, fique à vontade e publique suas frases. Eu prefiro não nomear quem deve fazê-lo, de antemão pedindo perdão a Lili pela quebra da corrente, cuja continuidade seria listar mais cinco amigos. Brigadu pela lembrança, amiga!



sexta-feira, outubro 05, 2007

TÕ FICANDO MAL-ACOSTUMADA!!!

MAIS UM PRÊMIO PRA MIM!


Fui agraciada, dupla e carinhosamente, pelas minhas queridas amigas Cris Penaforte, do blog FRAGMENTOS DE MIM e Elena Fletcher, do SONHO MEU, com este honroso selo, certificando que o Sheherazade encontra-se entre os Melhores Momentos Virtuais. Se vocês as visitarem, poderão constatar a magnanimidade dessas meninas pois, titulares de blogues cuja excelência é indubitável, bem elaborados e cheios de recursos visuais que eu nem em sonhos consigo alcançar, mesmo assim dividem comigo esse mimo que lhes foi meritoriamente repassados pelos que, como eu, lhes são devotados. Só me resta, então, agradecer humildemente essa prenda de inestimável valor, ainda mais vinda de vocês, amigas.



Não posso deixar de explicar o motivo da minha demora em postar os meus agradecimentos: É que o meu PC parece ter personalidade própria e ultimamente cismou de não obedecer ao meu comando, rebelando-se ante todas as minhas tentativas. Tô até desconfiada que ele não vai, mesmo, com a minha cara, porque com o meu filho ele é obedientezinho que só ajudante de missa ... Vai ver, é viado, esse puto!





Voltando aos agradecimentos:



A Cris Penaforte achou pouco e ainda me incluiu na "Corrente da Amizade",
cujo objetivo é estreitar os laços que unem os blogueiros e agradecer por compartilharem conhecimentos, artes e idéias. Fiquei mais que vaidosa com mais esta conquista, pois sou fã ardorosa da Cris e de tudo o que ela escreve. Para não quebrar a corrente, tenho, também, que listar dez pessoas por quem tenho estima e admiração, considerados verdadeiros amigos. Em que pese a dificuldade de restringir o número de listados, pois tenho amigos virtuais sem os quais a vida não teria graça alguma, optei por estes aqui, abaixo, cujos contatos têm sido mais constantes, enfatizando que todos, sem exceção, têm um lugarzinho especial no meu coração.





São estes os meus elos na "Corrente da Amizade":



Cris Penaforte - Uma menina cheia de idéias, que sempre nos presenteia com verdadeiras aulas de cultura geral, dona de um coração enorme e sensível que chega a causar espanto, dada a sua pouca idade pra tamanha reflexão de vida;


Elena Fletcher - Minha mais recente conquista virtual, uma nordestina arretada, sem medo de ser feliz, que partiu daqui e singrou mares em busca do seu sonho, mostrando que atitude é tudo o que a gente precisa ter.


Baby Bloom - A responsável pela existência do Sheherazade e minha maior incentivadora pra participar desse maravilhoso universo blogosférico, a quem devo tudo o que conquistei aqui. Uma pessoa alegre, cheia de vida, com um sorriso mais largo que o meu, sem papas na língua, mas apaixonante e vivaz como ninguém;


Márcia, a "nossa" Clarinha - A quem chamo de "mana" desde que a conhecí pessoalmente. Uma pessoa incrivelmente dócil e carinhosa, que transborda de amor e fala desse sentimento como ningúem, com sua poesia latente, perturbadora e eterna, por quem é impossível não se apaixonar;


Beth - Uma "brasileira na meia idade, que não desiste nunca", carioca da gema, mora na Suécia mas não esquece as suas raízes e com quem estabelecí um elo de amizade que até parece remontar à nossa infância, embora nunca nos tenhamos encontrado e sejamos oriundas de regiões tão diversas, mas que tem uma história de infância muito parecida com a minha;


Bill Falcão - Bill é o editor-chefe do "Jornal da Lua", um blog ultra-bem-humorado, que se tornou meu amigo pra valer e por quem tenho um carinho enorme. Uma das minhas leituras diárias obrigatórias é o seu periódico (não tão periódico assim, diga-se de passagem, porque o editor é um folgado, que só vive no meio do mundo, em viagens não totalmente justificáveis, sempre acompanhado de uma secretária bem proporcionada e dadivosa, que ele não é besta nem nada);


Lili - Do "Quase Amor". O blog dela é imperdível! Gosto de gente que gosta de rir e de fazer rir. O seu forte são os contos cheios de humor mordaz, cujos finais são sempre surpreendentes. Uma delícia, passar lá. Eu recomendo.


Daniele - A Dani, do "Mulheres de Preto". Essa aí eu adotei como a minha irmãzinha caçula. É bailarina, poetisa, poliglota, inteligente, sensível e dona de uma doçura irresistível. Aliás, ainda hei de perguntar-lhe o porquê de batizar o seu blog com um nome assim, tão obscuro, se ela é tão translúcida e brilhante como uma estrela de primeira grandeza;


Luci Lacey - Outra pessoa que aprendí a admirar visitando o seu blog, o "Hippos", que é cheio de informações úteis e de prestação de serviços humanitários, sempre solidarizando-se com os menos afortunados. Uma mulher antenada e uma amiga presente em todas as ocasiões;


Luma - O blog dela já diz a que vem: "Luz de Luma". Uma pessoa, como já se pode presumir, iluminada. É o que ela é, além de um amiga carinhosa e superatenciosa com os que, como eu, prezam a sua amizade;


Pronto. Cumprí a minha parte nessa tarefa e deixo à vontade os aqui citados pra lhe darem continuidade, ou não. Afinal, declarar amor a quem se ama não custa nada e é até muito prazeiroso. Pena que não dá pra listar todo mundo!



























terça-feira, setembro 25, 2007

E VIVA A SOLIDARIEDADE!!!

Estou feliz com o curso da campanha em prol de ANA VIRGÍNIA, sobre cujo caso estarrecedor falei no meu post anterior,embora tenha consciência de que ainda há muito que fazer e muitos a conquistar. Feliz, porém nem um pouco surpresa, pois sei, por experiência própria, do quanto a massa blogueira é sensível e camarada na hora em que a gente precisa de apoio. É fascinante observar o teor de amizade e de carinho que a gente consegue angariar entre pessoas que, muitas vezes, somente se relaciona por meio virtual!

A idéia de compartilhar essa notícia com os amigos fez surgir uma corrente de participantes dos mais diversos lugares do Brasil e do mundo e, hoje, estamos nos multiplicando nesse objetivo de forma admirável. Alguns já até enviaram correspondência ao Ministro das Relações Exteriores no sentido de interceder pela família. Quem quiser colaborar, pode escrever , também, à Vice-Cônsul brasileira em Portugal, Marília Oliveira, sob cuja responsabilidade está a apuração do caso e, segundo informações, tem sido razoavelmente receptiva. O endereço eletrônico do vice-consulado é este aqui:
consbras.lisboa@netcabo.pt.

Abaixo, a relação dos que já se dispuseram a figurar como elos desta corrente do bem, postando sobre o assunto a fim de multiplicar simpatizantes para a causa entre os seus leitores:


Yvonne - Bloggente
Cilene - Distant Daily
Aninha - O meu jeito de ser
Rosa - Rosa 147
Elena - Sonho meu
Beth - Brasileira na meia idade
Luma - Luz de Luma
Ronald - Blog do Ronald
Luci - Hippopotamo.
Juntem-se a nós! Vamos pressionar as autoridades competentes e mostrar que os brasileiros também merecem respeito, principalmente quando acusados injustamente, num país estranho, mesmo sem contar com o aparato da mídia, nem do apoio de nomes ilustres, como o do Primeiro-Ministro britânico e do Papa Bento VI, no caso Madeleine McCann.
Por quê situações tão correlatas merecem tratamentos tão diversos? É a pergunta que não quer calar. Vejam o que copiei do post da Luci Lacey, sobre esse caso da menina inglesa, ocorrido, também, em Portugal e, como eu, escandalizem-se:
"Site na net, angariação de fundos por todo o mundo; celebridades mundiais empenhadas na causa; idas a Fátima, rezar; viagens pela Europa; conversas com ministros espanhois e, ainda, idas diarias à Igreja da Luz, declarações contidas dos pais, e por fim, a cereja em cima do bolo: Uma audiencia com Sua Santidade, Bento XVI" (!!!).
Tudo isso pra cobrir de atenções os pais da garota, enquanto que a família de ANA VIRGÍNIA, sequer, teve direito de acesso ao laudo oficial da causa mortis do seu filhinho, razão porque o seu advogado não conseguiu, ainda, elaborar a sua defesa. Isso tudo com o agravante de que ela se encontra enferma e sem assistência médica à altura do seu estado de saúde, que é gravíssimo.
VAMOS NOS MOBILIZAR, PESSOAL!
ABRACEM ESTA CAMPANHA!

terça-feira, setembro 18, 2007

UMA PRECE PRA ANA VIRGÍNIA

Desde o choque que sofrí com o Acidente Vascular Cerebral - AVC - que vitimou a minha irmã em junho deste ano, venho pensando em como a vida da gente pode mudar radical e definitivamente num instante de infortúnio ( e de alegria também, é bem verdade). Não tem sido fácil vê-la agora, inerte e incapaz. É impossível não estabelecer um paralelo com o que ela foi, quando sadia: Uma mulher dinâmica, vivaz, alegre e incansável na busca da plenitude de satisfação e de realizações que uma pessoa possa pretender na sua trajetória de vida, sem sequer levar a sério as barreiras que o avanço dos anos nos obriga a observar e que deixava perplexos a todos os que com ela conviviam; encontra-se, hoje, inerte e sem voz, numa cadeira de rodas. Num segundo, a sua vida mudou totalmente!



Assim aconteceu com ANA VIRGÍNIA, sobre quem lí no blog da Luci, no dia 12 deste mês. O caso dela me comoveu de tal maneira, que fiquei pensando em uma forma de ajudar a minorar a sua dor, bem como a da sua família e resolví postar, também, sobre o assunto, na tentativa de fazer eco à denúncia e, assim, quem sabe, sensibilizar mais e mais pessoas até que todas as vozes sejam ouvidas e cheguem ao destino certo: Àqueles que detém o poder de efetivamente liberá-la pra que volte ao convívio dos seus, ainda que a grande dor da perda do seu filho seja irremediável.



"ANA VIRGINIA MORAES SARDINHA, brasileira, solteira, administradora de empresa, CPF sob nº 512468645-68, Rg sob nº 03715989-58, SSP/BA, residente e domiciliada na Cidade do Salvador,na Rua São Raimundo, 119, aptº 1002, Bairro das Mercês, que, desde o dia 05 do mês de julho do ano presente se encontra encarcerada no Estabelecimento Penal de Tires, sob nº,202, sob a acusação de ter contribuído para a morte do filho menor de 06(seis ) anos, Leonardo Brittes Sardinha, cujo corpo foi trasladado para o Brasil e sepultado em Salvador- Bahia".



Pelo que apurei da matéria publicada no jornal da Associação VIDAS ALTERNATIVAS, que tem por objetivo prestar ajuda humanitária a pessoas envolvidas em situações discriminatórias e ultrajantes, essa moça conheceu um cidadão português num hotel luso, com quem passou a se relacionar. A seu convite, voltou a Portugal, em férias de um mês e levou consigo o seu filho, Leonardo, de seis anos, que sofria de epilepsia moderada. Lá, a criança sofreu uma crise e ela, como fazia regularmente, administrou-lhe o remédio, devidamente prescrito pelo médico que o acompanhava. Ocorre que o menino, enquanto deglutia a medicação, ficou engasgado com o líquido e veio a falecer. Depois de todas as tentativas de salvá-lo, sem sucesso, desesperada, num país estranho e sem saber o que fazer, a mãe tentou o suicídio cortando os pulsos e, hospitalizada, entrou em coma. Após sair do coma, surpresa, viu-se acusada pela polícia local de ter assassinado o próprio filho e, hoje, encontra-se presa no Estabelecimento Penal de Tires, naquele país. Na prisão, foi espancada e maltratada a ponto de perder a capacidade motora de um dos membros. Tem mais: O namorado, única pessoa com quem poderia contar, na ocasião, evadiu-se, abandonando-a à própria sorte.

A família está, obviamente, em desespero, porque não consegue trazê-la de volta pro Brasil, onde se encontra enterrado o corpo do seu filhinho, que ela, sequer, teve o direito de velar.

Diante de tamanha desgraça, eu sou obrigada a jogar o "Jogo-do-Contente", que aprendí ainda muito menina, com outra garotinha, Pollyanna. Tá certo que esse joguinho é um tanto quanto alienante, mas, quando lembro que a minha irmã viveu intensamente os seus 72 anos, chego a ficar mais tranquila, comparando o seu acidente com o infortúnio de Ana Virgínia.

Sei do poder que tem a massa blogueira de multiplicar adeptos de uma causa - as blogagens coletivas são uma prova disso. Portanto, espero que esta minha contribuição traga simpatizantes para a situação dessa moça e, quiçá, possamos ajudar a família a conseguir o seu retorno ao solo pátrio. Visitem o jornal VIDAS ALTERNATIVAS. Lá, poderão se inteirar melhor.

terça-feira, setembro 11, 2007

GRAVATÁ





Eu sumí de cena neste feriadão porque, a convite de uma amiga, viajei a Gravatá, uma estância climática perto daqui, deliciosa e cheia de atrativos.

GRAVATÁ é uma cidade pernambucana localizada na região Agreste do Estado, a 93 Km da capital, Recife, numa altitude aproximadamente de 540 metros acima do nível do mar. Possui uma excelente infra-estrutura hoteleira e por ter clima frio e arquitetura européia, recebe um grande fluxo de turistas e veranistas para temporadas, feriados e festas tradicionais. É, também, conhecida como "A cidade dos móveis", cuja comercialização é intensa.


Lá fui muito bem recebida e tive a oportunidade de conhecer uma família maravilhosa, que.de braços abertos, me tratou como se eu fosse "cria da casa". Conhecí pessoas incríveis, mas a minha anfitriã, que tem um nome complicado e o apelido de "Fiquinha", foi o destaque da temporada. É uma criatura de um bom-humor a toda prova. Mulher admirável e dinâmica ao extremo, é incapaz de se sentar prum bate-papo de meia hora mas, enquanto pulula aqui e acolá, multiplica-se a cada minuto dando conta, com maestria, da administração da casa, dos filhos, da família em geral, do marido, das visitas e do Colégio Cleto Campelo, do qual é diretora atuante e presente, sendo, ainda, estudante de Direito numa cidade próxima. Num só dia, essa criatura absolutamente incrível foi capaz de organizar e supervisionar a parada escolar de 7 de Setembro da instituição que encabeça a três municípios distintos; cobrir de mimos a nós, suas hóspedes; acompanhar as filhas num treino e posterior competição de hipismo; sair com o marido pra uma cervejada, fazer uma prova na faculdade ... Ufa! Só de citar o dinamismo dessa mulher me dá canseira! O marido dela, Tadeu, igualmente simpático e extrovertido, é a sua cara-metade perfeita. Feitos um pro outro!
A família dela seria invejável, se eu não tivesse uma similar. Todos os irmãos moram numa só rua e se comunicam cotidianamente através dos muros que separam suas casas, deixadas a cada um pelo pai, já falecido. A matriarca mora mais distante, mas todos os domingos reúne filhos, genros, noras, netos e agregados em torno de uma enorme mesa para o almoço que, é claro, vira uma festa regada a bebidas, gargalhadas e saudáveis conversas. Depois do almoço, toda a galera converge pra casa de uma das irmãs e o clima festivo continua, com churrasco, cerveja, música e muita descontração em torno da piscina até o escurecer. Foi um feriadão inesquecível! Adorei conhecer essa gente cheia de vida e, pra demonstrar a minha gratidão, resolví deixar aqui esse depoimento. Só agora entendo o apelido da minha anfitriã, "Fiquinha": É impossível conhecê-la e não querer ficar com ela por um longo tempo.
Uma vez, em São Paulo, ouví de uma pessoa uma recriminação à minha irmã que tinha acabado de se mudar pra lá por força do seu recente casamento, (o marido era radicado na metrópole), porque ela chorava diariamente com saudades de casa. "Pôxa - dizia essa pessoa - Como alguém pode chorar com saudade de uma cidadezinha do interior do "Norte", quando se encontra morando na maior cidade do país?" ... Essa criatura insensível nem imagina o que é ter uma família coesa e amada, com quem se conviveu a vida inteira e tão intensamente e ter que abrir mão dela pra viver num lugar distante com o qual não se tem qualquer identificação - pensei.
Dizem que família a gente não escolhe. Eu discordo disso radicalmente ... Acho que antes de me liberar pro mundo terreno Deus deve ter-me feito optar pelo lar em que eu queria nascer e eu, com certeza, acertei em cheio na minha escolha, pois não trocaria a minha por nenhuma família do mundo. Acredito que tenha sido esse o caso dos meus recém-conquistados amigos. Que família linda!!!
A ela, toda a minha admiração, respeito e gratidão.


quinta-feira, agosto 30, 2007

7 FATOS CASUAIS

Tá rolando na blogosfera o meme "7 Fatos Casuais", que funciona assim:


"Cada pessoa escreve 7 fatos casuais sobre a sua vida. Depois passa o desafio a outras 7 deixando um comentário no seu blog, para que a pessoa saiba que foi desafiada."


Daí, a Baby, do Estrebucha, Baby! minha amiga sangue-bom, que não só foi a responsável pela minha entrada no mundo blogueiro como, ainda, me presenteou este blog, me indicou pra listar aqui sete fatos casuais sobre a minha vida e eu, é claro, jamais poderia declinar desse desafio ou de qualquer outra convocação de uma madrinha tão adoravelmente arretada feito ela.



Então, lá vai:



1. Nascí e me criei em Caruaru/PE, onde viví os melhores anos da minha vida e jamais cogitei sair de lá, até que a minha mãe resolveu mudar-se para o Recife e me forçou a vir junto "porque uma moça solteira não podia viver sozinha, pra não ficar falada". Vim, sob protestos, mas hoje não voltaria nem amarrada (minha mãe, no entanto, voltou). Aprendí a amar o Recife como se aqui houvesse nascido.



2. Já aqui, comecei a trabalhar numa empresa que adorava, mas o meu irmão mais novo cismou que eu tinha que fazer um concurso público e, mais uma vez, fui forçada a fazer algo que não planejava. Passei no concurso e trabalhei o resto da minha vida num banco federal, onde me aposentei e agradeço todos os dias àquele irmão por me ter praticamente obrigado a deixar a empresa privada, na qual certamente eu nunca teria conquistado a estabilidade profissional e financeira que conseguí e da qual hoje desfruto.



3. Ainda no interior eu havia começado o curso de Direito, que foi interrompido quando da minha mudança pro Recife e, devido às complicações iniciais de adaptação à cidade grande, além da falta de grana (a faculdade, aqui, era bem mais cara) acabei por não concluí-lo. Anos mais tarde, me formei em Comunicação Social (Relações Públicas), que era, de fato, o curso dos meus sonhos.



4. Jamais pensei em me casar (nunca tive muita inclinação pra vida a dois), mas acabei no altar, forçosamente, por conta de uma gravidez inesperada que a minha mãe não aceitou e exigiu de mim este sacrifício "pra limpar a honra da família". Desta vez não houve "final feliz" e eu mandei o cabra passear oito meses depois.



5. Solteira convicta, nunca me passou pela cabeça voltar a viver com ninguém mas, dez anos depois do inditoso casamento, me apaixonei perdidamente por um sujeito e em menos de uma semana passamos a viver juntos. Esse convívio demorou dois anos e teria durado a vida inteira, não fossem os percalços do seu vício pela jogatina, que acabou por me desencantar quanto à sua personalidade.



6. Por nunca me imaginar casada, também a maternidade nunca esteve nos meus planos mas, depois que parí o menino mais lindo da face da terra, mergulhei de cabeça nessa premissa de "padecer no paraíso" comum a todas as mães.



7. Sempre sonhei em conhecer a Ilha de Cuba, mas fui adiando esse sonho por anos a fio porque não encontrava ninguém que quisesse me acompanhar a "um país pobre", como diziam as pessoas a quem eu sugeria me seguir, um monte de pequenos-burgueses deslumbrados com os atrativos do luxo e da pompa de países cujos idiomas sequer dominavam, mas traziam status a quem os visitasse. Assim, partí sozinha pro Caribe. Foi a melhor viagem que fiz na minha vida e a mais inesquecível aventura, digna de um romance de Sydney Sheldon - sem o suspense, é claro! Não há na face da terra um povo mais bonito, mais doce, mais afável e mais "gente"do que os cubanos. A falta do vil metal fez aflorar, neles, os mais elevados valores morais que um povo pode desenvolver. Conviver com eles foi a mais sublime lição de vida que eu já experimentei.





Pronto. Estão aí os fatos casuais mais significativos da minha existência. Vou me eximir de nomear pessoas pra listar os seus, mas deixo aberto o convite "a quem interessar possa".

terça-feira, agosto 28, 2007

A MORAL RESTABELECIDA ... VIVA A MORAL!!!

Eu confesso: Gosto muito de ver TV e não adianta ninguém tentar me convencer que esse entretenimento é alienante, que é bem mais proveitoso ler um livro ou ocupar o tempo em uma atividade mais dignificante, porque, embora eu não só saiba disso como, também, concorde com essa afirmativa em gênero, número e grau, a TV é a minha companheira mais constante, permanecendo sempre ligada enquanto eu leio meus livros (que adoro, aliás) e/ou decifro os anagramas, charadas, rébus e outros passatempos da minha indefectível revistinha de palavras cruzadas preferida, "A Recreativa".

O problema é que eu sou, por natureza, muito crítica e na mesma proporção da minha paixão pela telinha está a minha ojeriza aos programas da TV aberta, todos absolutamente dispensáveis, com raríssimas exceções. Daí que considero o advento da TV a cabo o maior dos lances e estou quase convencida de que quem o idealizou estava pensando em mim. Portanto, dá pra imaginar o meu mau-humor quando acontece alguma pane e eu sou obrigada a assistir a TV aberta, né?

Foi exatamente o que ocorreu ontem e, enquanto esperava que se restabelecesse a conexão, fiquei vendo uma entrevista com uma mulher cujo nome desconheço, mas que só de peito tinha umas duas arrobas em cada lado, além de uma igualmente artificial bunda, que mais parecia uma daquelas criações do imortal Péricles, "O amigo da Onça", artefatos estes devidamente evidenciados em sumaríssimos trajes, obviamente. Afinal, o que mais aquela sumidade poderia exibir?
Ela depunha a respeito de uma fotos suas que foram veiculadas pela internet sem o seu consentimento, fato esse que, segundo a própria, lhe causou "grandes constrangimentos" e "sofrimentos indescritíveis", coitadinha, e a expôs a um inferno astral nunca dantes experimentado, chegando até a virar caso de polícia, quando teve que exigir a apuração de quem tinha feito aquela tremenda maldade consigo, que a difamou na cidadezinha onde vivia, prejudicando a sua imagem junto à sociedade, o seu emprego, as suas relações com a vizinhança e coisa e tal... Uma situação vexatória, de partir o coração!

Mas aí a moça reagiu heroicamente: Aconselhada por pessoas, segundo ela, "muito idôneas e sérias", que a assessoraram no empreendimento, resolveu criar um web site próprio cuja finalidade é divulgar o seu "trabalho" fotográfico e no qual ela responde a perguntas relacionadas ao sexo (surpresa!!!) - assunto este em que a moça parecia muito versada - Esta idéia dos seus amigos, "que a conhecem e sabem da sua ilibada conduta moral" (sic), tem lhe rendido uma situação financeira bastante estável, já que, para acessá-lo, os "consulentes" (cerca de dezesseis mil pessoas)têm que pagar uma assinatura mensal de cerca de R$ 45,00 per capita. O número de acessos cresce a cada dia, pois a travessura dos adolescentes responsáveis pela difamante repercussão daquelas primeiras fotos havia atraído para si muitos bem-intencionados fãs, os quais, ao notarem que se tratava de uma pessoa "muito séria" (sic) - peitos e bunda à parte, queriam conhecer melhor a sua intimidade e, também, saber detalhes daquele padecimento de que tinha sido vítima, solidários à sua dor.

Destarte, a moça-séria-que-agora-conta-dinheiro tornou-se uma empresária de sucesso e, hoje, é a feliz proprietária de uma rede de empresas, com várias filiais Brasil afora, estando, inclusive, no momento, negociando a sua expansão para o exterior.

Só não entendi uma coisa: Se os meninos a quem ela defenestrou em rede nacional por se apossarem de um produto de forma ilícita - segundo ela, eles trabalhavam numa empresa de informática pra onde o seu PC foi levado pra ser formatado e, ao depararem com as suas "inocentes poses íntimas, muito pessoais" (sic) , as copiaram e espalharam pros amigos (foi o que eles confessaram ao delegado de polícia, tendo sido punidos com penas de cunho social) - lhe fizeram tanto bem, por que puni-los e execrá-los publicamente? E aquele ar de vítima desconsolada pelo "prejuízo moral" que a divulgação das fotos lhe trouxe, somente restaurado agora, com essa volta por cima às avessas? Tsc, tsc, tsc ... Na minha opinião, eles tinham mais era que exigir participação nos lucros, isso sim!

Cada dia fico mais grata aos meus pais por me mostrarem, muito cedo, que o meu único caminho para o futuro teria, mesmo, que passar pela escola ... Acho que eles percebiam que eu estava mais pra FIONA do que pra BARBIE ... Hehehehehehe!!!

sexta-feira, agosto 24, 2007

ENCHENDO LINGUIÇA III


Esta receitinha bem mineirinha foi-me repassada por uma amiga lá das Gerais. Se você não conseguir decifrar, consulte um amigo daquelas bandas que ele a traduzirá, c'o mó carin, belezzzzz?


E por falar nisso, olha aqui a última piada de mineiro que aprendí:


Num hospital havia uma moça internada em estado vegetativo há mais de um ano. Qual não foi a surpresa da família ao ser informada de que ela se encontrava ... grávida!

Foi um rebu dos diabos pra descobrir quem tinha feito aquela sacanagem com a coitada. Por exigência dos familiares os médicos colheram amostras de DNA de todos os que trabalhavam naquela ala e, assim, descobriram o malfeitor: Um mineirinho que acabara de ser contratado pra servente do hospital. Ao ser inquirido pra dizer por que tinha procedido assim com uma pessoa absolutamente indefesa, ele, sem pestanejar, afirmou: "Eu tava obedeceno as orde, sô! Como assim, mineirinho, quem lhe ordenou fazer isso com a paciente? E ele, bem inocente: "Tava escrito lá, na tabuleta: COMA" ... Aí ...




LÓGICA MASCULINA

Em um julgamento de divórcio, o casal briga pela guarda do único filho. A mãe, muito emocionada, tenta se defender:

- Excelentíssimo Juiz... Esta criança foi gerada dentro de mim... ela saiu do meu ventre, portanto, eu mereço ficar com ela!

O juiz passa a palavra para o marido, que resolve usar o seu lado lógico:

- Senhor Juiz, me responda uma pergunta: quando eu coloco uma moeda em uma máquina de refrigerantes, a latinha que sai é minha ou da máquina???

Um ótimo findi pra todos!













terça-feira, agosto 21, 2007

BLOGS 5 ESTRELAS



Este selo é mais uma conquista do Sheherazade, sob os auspícios da generosidade e da simpatia do meu amigo-e-agora-mestre, Bill Falcão, que indicou o meu mixo bloguezinho pra participar do "Prêmio Blogs 5 Estrelas". É ou não é um mimo, isso, gente? Logo euzinha, que sou tão incipiente nesses meandros , indicada pra um concurso dessa monta? Também, coitado, pagou o preço: Teve que me ensinar umas tecnicazinhas pra eu poder publicar as minhas indicações e agora eu tô aqui, exercitando a aula que ele me deu, torcendo pra ter me saído bem e, assim, evitar que ele me ponha um chapéu de burro na cabeça e me mande lá pro fim da sala, pra pensar (sem contar com o "mico" de vê-lo retirar o meu nome da sua lista, né?).
Quando falo "conquista" não significa que abiscoitei o prêmio não, viu, gente? É que já considero assim o fato de apenas ter sido indicada entre tantas "feras" dessa nossa blogosfera, ainda mais pelo Bill, que é um amigo virtual, mas que eu tenho em grande conta. Valeu, Bill! Agora, por favor, corrija o meu dever de casa:
Pra participar, tenho que escolher apenas cinco dentre os muitos blogs que curto e visito regularmente, o que torna a tarefa um tanto quando difícil, pois tenho um particular xodó por todos eles, das mais diversas vertentes. Na impossibilidade de listar todos, escolhí estes aqui:



Estrebucha, Baby!

Mulheres descontroladas

Quase amor

Gazeta Mundo Cão

Cris Penaforte


A apuração do resultado se dará no dia 27 do mês em curso e este será publicado no dia 31.O regulamento se encontra no blog da Elza, o Nada pra mim e não é nada complicado de entender. Visitem o site e façam as suas escolhas!







terça-feira, agosto 14, 2007

ACM DEPÕE LÚCIFER

Desde que aconteceu a descida (subida era que não podia ser) do cacique baiano, ACM - com o perdão da palavra - eu fiquei a matutar uma forma de comemorar esse grande evento, mas não sabia como fazer para externar a minha emoção e o meu aplauso ao Todo Poderoso por ter livrado o Brasil desse malfazejo de triste memória. Foi então que, ouvindo um programa da Rádio Jornal, o "Super Manhã", comandado pelo comunicador Geraldo Freire, líder de audiência aqui no Nordeste, escutei uma poesia de cordel do poeta popular Miguelzinho de Princesa, intitulada "A CHEGADA DE ACM AO INFERNO" e resolví fazer uma paródia, da minha própria lavra, já pedindo licença ao poeta pra discorrer sobre o mesmo assunto, plagiando o seu tema, embora não seja muito versada nessa modalidade.
Saiu isso aqui:

ACM DEPÕE LÚCIFER

Quando ACM morreu
O inferno entrou em festa
O diabo, todo fogoso, disse:
Só faltava esta!
Agora eu vou sossegar
E esse aí não vai gostar
De ter Lúcifer de testa.
Porque aqui não tem esta
D'ele vir cantar de galo
Aqui ele é vassalo,
Esse ancião da molesta!

Assim que ACM viu
Onde tinha ido parar
Disse: PUTA QUE PARIU!
Eu pensava que ia dar
Pra enrolar o Satanás
Mas aqui tô por um fio
Valei-me, meus orixás!
Meu galo não canta mais
E do jeito que a coisa vai
Vou ficar a ver navio


Mas Toninho Malvadeza
Do seu jeito, saltimbanco,
vislumbrou logo uma presa
Quando viu Castelo Branco:
Cumprimentou Sua Alteza,
Foi até Garrastazu
E quase toma no cu
Ao ignorar Costa e Silva
Que lhe disse: Sente aqui!
E não faça objeção
E fez-lhe apertar a mão
De Geisel e de Golbery.

Pensando bem, disse ele:
Nem tudo está perdido
Pois aqui sou conhecido
E entre amigos estou
Foi aí que avistou
Lá dentro, por entre as trevas,
Todas as daninhas ervas
Que em vida conheceu:
Idi Amin, Pinochet,
Perón, Hitler, Mussolini
E toda essa corja de um time
Que tanto exemplo lhe deu

Ele, então, se convenceu
Que alí iria mandar
Começou a articular
A sua volta ao poder
"O diabo vai se foder
Quando eu fizer minha frente"
E foi assim, minha gente,
Que o Satanás, de repente,
Perdeu o seu trono eterno
Quando ACM, O Malvado,
Tomou o lugar do coitado
Nas profundezas do inferno.